Um novo vírus pertencente à família do coronavírus se espalhou na cidade chinesa de Wuhan no final de 2019, porém esse agente infeccioso tem tomado proporções em outros países, como aqui no Brasil, e no nosso Estado, Espírito Santo.

Dentre os sintomas, podemos citar os mais comuns – como tosse (seca ou com secreção) e febre (acima de 37º graus) – até os mais graves, como insuficiência renal e dificuldade respiratória. Além disso, há outros sintomas, como inflamação na garganta, dores no corpo, congestionamento nasal e diarreia. 

Então, para nos prevenir do contágio desse coronavírus, são necessárias as seguintes precauções:

  1. Isolamento Social: Esta é uma determinação dos Órgãos competentes (em níveis Mundial, Federal e Estadual) que deve ser seguida por todos, na medida do possível, para desacelerar o contágio, afinal, estamos vivendo uma pandemia. E por isso, estamos sem aulas presenciais.
  2. Medidas de Higiene Pessoal: Elas imprescindíveis, pois a transmissão do coronavírus pode ocorrer por gotículas de saliva e catarro que envolvem o ambiente. Logo, é sempre importante lembrar de lavar as mãos, esfregando as unhas; também é recomendado usar álcool em gel e evitar de levar a mão à boca, olhos e/ou nariz. Além disso, utilizar-se de lenços descartáveis quando o nariz estiver escorrendo. 
  3. Objetos de Uso Pessoal: Não compartilhe objetos como talheres, copos, garrafas, toalhas, dentre outros que se referem a essa categoria. 
  4. Profissionais de Saúde: Caso você exerça essa função, siga sempre as medidas de precaução padrão, como o uso de luvas, máscara cirúrgica, óculos de proteção e avental não estéril. 
  5. Limpeza: Usar álcool para a limpeza de objetos que são utilizados com bastante frequência, como por exemplo: celular, o teclado do notebook. Onde der para usar, lave com água e sabão.
  6. Máscara: O uso de máscaras é recomendado para lugares de surto intenso. É o caso das pessoas que precisam sair de casa para trabalhar, fazer compras, etc. Sempre obedecendo as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Estes pontos foram algumas dicas de precaução para que possamos identificar as nossas necessidades e também a ajudar na veiculação de informações para a população. 

LEAVE A COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *